Comunicação não-violenta: como ela auxilia na produtividade?

A comunicação é protagonista em todas as relações, sejam elas pessoais ou profissionais. É impossível ignorar sua influência no nosso dia a dia.

A comunicação agressiva demonstra valores negativos e prejudica a convivência. Essa característica quando trazida para um microambiente como o corporativo, por exemplo, pode ser ainda mais danosa. Não à toa, pesquisa realizada pela Harvard Business Review aponta que 91% dos colaboradores afirmaram que problemas na comunicação podem prejudicar os executivos. A mesma pesquisa identificou, ainda, que, para 57% dos profissionais, falta de clareza é um dos principais problemas das lideranças.

O primeiro passo é trabalhar na liderança a Comunicação Não Violenta (CNV), exercitando o diálogo, empatia e autoliderança.

Mas afinal, o que é a Comunicação Não-Violenta?

A Comunicação Não Violenta, mesmo com esse nome literal, tem um conceito um pouco mais amplo. Foi desenvolvida pelo psicólogo americano Marshall B. Rosenberg e tem como objetivo criar relações melhores entre indivíduos, desenvolvendo nossa capacidade de comunicação com empatia, estando consciente das reais necessidades de quem está participando de uma conversa. Fazendo uma comparação com o ambiente de trabalho, utilizar a CNV significa compreender o que você realmente precisa e sente, assim como compreender o que os seus colegas, chefes e até clientes também precisam e sentem.

A Comunicação Não Violenta oferece ainda um método sistêmico de se expressar e compreender com mais clareza. Nossa linguagem, tanto oral quanto escrita, não é 100% efetiva na tradução de nossos sentimentos. Uma prova “boba” disso, é que às vezes um simples emoji diz muito mais sobre o que a gente pensa do que o mais caprichado dos “textões”. É bom lembrar que problemas de comunicação, além de causar atrito no trabalho, são uma das principais razões pelas quais as empresas se afastam de suas metas, o que só torna ainda mais importante o desenvolvimento destas skills.

Como aplicar na sua empresa?

A Comunicação Não Violenta traz inúmeros benefícios para qualquer negócio. Autoestima dos funcionários, agilidade na resolução dos problemas, um ambiente harmonioso e sem conflitos, e até o aumento da performance.

Algumas dicas para aplicar a CNV em sua empresa são:
● Construir workshops;
● Disparar comunicações internas;
● Criar grupos de escuta;
● Dar liberdade para o RH ser criativo e inovar.

3 focos importantes para líderes desenvolverem com a comunicação não-violenta:

Autoconhecimento
Para que uma Comunicação Não Violenta se estabeleça, é preciso um mínimo de autoconhecimento, só assim será possível entender como cada um reage à determinada situação e é a partir dessa identificação que será possível mudar o comportamento e quebrar paradigmas.

Escuta ativa e empatia
É quase automático: ao vermos qualquer situação, julgamos entre certo e errado. No entanto, estabelecer uma Comunicação Não-Violenta exige o exercício da empatia, ou seja, antes de fazer juízo é fundamental ouvir o que o colaborador tem a dizer e pensar formas de ajudá-lo.

Estabeleça vínculos com a sua equipe
Refletir sobre o convívio com os colegas de trabalho também é essencial para o bom funcionamento da equipe. Para tanto, o líder precisa criar um ambiente favorável ao diálogo, oportunizando, assim, a troca de ideias tanto profissionais quanto sobre a vida pessoal de cada um.

Para finalizar, compreender o perfil de cada colaborador com suas habilidades, facilita para prever algumas tendências de comportamentos em determinadas situações e ainda promover uma melhor produtividade e qualidade no dia a dia profissional, mesmo que de forma remota neste momento.

Quer saber como podemos te ajudar neste processo? Envie sua mensagem para que nossa equipe de especialistas entre em contato com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *