fbpx

Como saber a cultura predominante da sua empresa?

Você, como um bom observador e que está sempre atualizado nas tendências e pesquisas de RH, sabe que a cultura é um pilar importante para qualquer empresa na comunicação com seus colaboradores.

Para iniciarmos esse papo, a cultura nada mais é do que uma estrutura que traz processos de aprendizagem, adaptação e integração interna na solução de problemas, no crescimento e no entrosamento entre as equipes de uma empresa.

Elas são regras, informais ou formais, que orientam como as pessoas agem, além das expectativas para habilidades de solução de problemas. Um processo contínuo que guia as ações de todos, como também de futuros colaboradores, considerando a validez da cultura em longo prazo.

Segundo Boris Groysberg et al. (2018) “as normas culturais definem o que é encorajado, desencorajado, aceito ou rejeitado dentro do grupo. Quando adequadamente alinhada com valores pessoais, tendências e necessidades, a cultura libera enorme energia para um propósito comum e estimula a capacidade da organização de prosperar”.

Eixos de interseção

Um quadrante se forma com interseções em dois eixos que mostram a orientação da organização quanto à: Estabilidade e Flexibilidade, e Independência e Interdependência.

Independência: Valorizar pensamento global e interação fora de suas fronteiras.
Interdependência: Valorizar seu jeito próprio e reconhecido de agir.
Flexibilidade: Valorizar a adaptabilidade.
Estabilidade: Valorizar altos níveis de previsibilidade.

4 tipos de cultura predominantes

Cada um dos quadrantes mostra a orientação dessas culturas com diferentes padrões de comportamento para o convívio entre as pessoas e as tomadas de decisões da empresa:

Clã: Organizações que pregam a cooperação e colaboração, incentivando a confiança e solidariedade entre seus membros, com foco no coletivo;
Adhocracia: Organizações focadas na conversão de conhecimento em inovação e produtos, olhar centrado na ação;
Mercado: Organizações orientadas ao cumprimento de metas, com associação de recompensas aos indivíduos, poder no conhecimento;
Hierarquia: Organizações cuja crença é de que os indivíduos irão atuar melhor quando seus papéis e atribuições estão claramente definidos, foco no cargo de cada integrante.

Dessa forma, esses modelos têm particularidades que levam em consideração a forma de agir no dia a dia e como seus colaboradores centram suas atividades para alcançar os resultados esperados.

Na Hierárquica, o centro da confiança é muito forte para a tomada de decisão, baseada no bom senso e na autoridade do líder. Em uma empresa com cultura Meritocrática o poder está no saber, com isso a valorização no mérito é inerente, levando em conta o aprimoramento e o desenvolvimento pessoal.

Já nas Clãs, o coletivo é o que permeia essa cultura, de forma que as decisões sejam sempre tomadas com harmonia e bom clima para todos os que fazem parte do negócio. E por fim, a Adhocrática dá valor à iniciativa e atitude de seus colaboradores, com equipes que são multidisciplinares, apoiando quem tem uma ideia e como ela pode ser seguida por todos.

Qual a melhor?

Nenhuma é melhor ou pior que outra, depende muito do conceito em que a empresa quer atuar e como ela quer se adaptar ao ambiente, afinal é um processo que deve ser construído em longo prazo.

Quando observamos as mudanças atuais, fica claro que os comportamentos que mais se adaptam à sustentabilidade e soft skills, de cada indivíduo, têm melhor espaço para seguir no mercado.

É possível trocar de cultura?

Sim, uma empresa que tem um tipo de cultura hoje pode alterar e mudar desde que realize alguns processos necessários, afinal é uma mudança de algo que já vinha acontecendo na empresa. Além de ser preciso compreender o perfil de cada colaborador para que o mesmo consiga se adaptar.

E assim fazer um mapeamento por competências que uma empresa identifica como necessárias e alinhadas com suas estratégias.

Se quiser saber mais como isso pode ser realizado na sua empresa, você pode baixar nosso e-book “Gestão da Cultura” e entrar em contato, para que possamos te explicar como é o nosso método no processo da cultura como parte primordial das empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *